Depoimento: Gabriela Lapa

gabiJá faz um tempão que recebi esse depoimento lindo, mas não tinha conseguido colocar no blog ainda por problemas de visualização da imagem… Desculpa, Gabi, mas agora vai!

A Gabriela é uma guerreira! Tem colecionado bons resultados nos concursos, até que agora chegou a tão sonhada aprovação: 1ª colocada no concurso IFPE no campus Salgueiro. Mas até chegar aí não foi nada fácil, ela passou por momentos muito difíceis, momentos com os quais você, concurseiro que está lendo esse depoimento, também vai se identificar e com certeza se emocionar!

Parabéns, Gabi! Seu sucesso é fruto de todo esse esforço! Boa sorte nessa sua nova jornada!

“Oi Mari, hoje saiu a homologação do concurso do IFPE Sertão, no Diário Oficial. Consegui!! 1º lugar para Jornalista do campus Salgueiro. É uma sensação tão boa! Quero te agradecer pelo blog. O Jornalistas Concurseiros não é só um meio de a gente se informar sobre as oportunidades da nossa área, é um norte no meio da imensidão do mundo dos concursos. Aqui a gente descobre materiais, cursinhos, e o mais importante, vê os depoimentos dos outros, percebe que não está sozinho. Obrigada, de verdade, por mantê-lo!

Bom, eu imaginei esse depoimento muitas vezes! Rs. Depois de muito chorar com as reprovações, olhava os relatos dos outros aprovados e ficava imaginando o dia em que chegaria minha vez. Agora que ela chegou, acho que não cabe muito falar de horários e técnicas de estudo, isso é muito particular. Queria falar sobre as lições que essa caminhada de concurseira me ensinou.

Primeiro de tudo, aprendi a me conhecer e me respeitar. No começo, 1 ano e 6 meses atrás, eu não sabia como era estudar pra concurso, nem qual era o melhor método. Lia todo tipo de depoimento na internet (inclusive aqui!), assistia os vídeos do Rodrigo Menezes, mas não tinha condições de julgar qual daquelas dicas me levaria mais rápido à aprovação. Então, tentei de tudo: jornadas grandes (10, 12 horas), jornadas menores (4 ou 5h), cronogramas de uma até quatro matérias por dia, mnemônicos, vídeos, pdfs, bilhete na geladeira, calendário na parede, resolução de prova, simulado, livros, apostilas, trabalhos científicos, ave! Foi um samba do crioulo doido, como diz o povo. Só com o tempo entendi que eu tinha meu próprio ritmo, e que o importante era me manter sempre em contato com as matérias, mesmo que fosse por pouco tempo. Nunca tirei férias do estudo.

Outro aprendizado importante: não existe essa de chegar “mais rápido”. Aprovação é um projeto de longo prazo, envolve autoconhecimento, maturidade, experiência, e – por que não? – uma boa dose de sorte. É preciso entender que demora, dói, frustra, mas vale a pena, no final. Comecei a fazer provas com mais tranquilidade quando aceitei que o tempo não importava tanto.

Tem um vídeo do Evandro Guedes onde ele diz assim: “filho, você fica aí se torturando porque foi reprovado em dez concursos, mas você queria o quê? Ser aprovado nos dez? Você só precisa de uma aprovação. Se tiver 10 aprovações, larga o serviço público e vai escrever um livro sobre isso, que dá mais dinheiro”. Acho esse vídeo um barato. É a mais pura verdade. A trajetória do concurseiro sempre vai ser de mais reprovações do que aprovações, e não porque ele seja burro ou qualquer outra coisa, mas porque faz parte do jogo. A reprovação faz a gente se avaliar, tentar melhorar. A aprovação, não: ela é a cereja do bolo. É a recompensa, para ganhá-la é preciso aprender.

Comigo não foi diferente: eu fiquei em 10º lugar no meu primeiro concurso, mas fora da lista de classificados. Depois, classifiquei em 18º no EAOT e fui reprovada no exame de saúde. Reprovei na ANTT, no BNDES, ANP, IFES de Vitória, Sudene, MPE do Paraná, Alepe. Mas consegui o 9º lugar no MPU, para o Mato Grosso; o 6º para a Universidade Federal do Maranhão, o 18º na Secretaria dos Portos, e agora, finalmente, o primeiro do Campus Salgueiro do IFPE: perto de casa e perto da família.

Chorei muito em cada reprovação, tive medo de nunca conseguir o primeiro lugar, fiz terapia, tomei ansiolítico, antidepressivo. Mas nunca pensei em desistir…principalmente porque sempre apareceram pessoas maravilhosas para me dar força. Conheci um grupo, no Facebook, que se tornou quase uma segunda família. Tinha gente de todo tipo, cada um com uma dificuldade diferente e o mesmo medo de nunca passar. Mas aí, que coisa! Aos poucos, todos foram conquistando suas vagas no serviço público. Eles me mostraram que a gente pode superar qualquer dificuldade, se quiser, e que a aprovação sempre chega para quem não desiste.

Então, é isso! O importante é continuar firme e forte na fila, pois uma hora ela anda! Hoje, já andou mais um pouquinho.”

Anúncios

28 comentários em “Depoimento: Gabriela Lapa”

  1. Que bom, Mari, que conseguiu publicar! Obrigada pelos adjetivos, fico feliz que tenha gostado do depoimento 🙂 . Só tem uma coisa: o pequenininho é meu irmão, não meu filho rs.
    Beijos!!!

  2. Minha amiga, que depoimento lindo!!! Vc sempre foi e sera motivo de minhas inspirações!! Mais uma vez, parabéns!!!

  3. Parabéns, Gabriela! Muito feliz pela tua conquista. Você nasceu para brilhar e sei que será uma ótima companheira de trabalho. Parabéns pelo texto, quando eu li, percebi que fiquei com os olhos marejados. Tenho certeza que não foi só eu que fiquei assim.

  4. Gabi fiquei muito feliz com esse post. No início do ano disputamos lado a lado uma vaga na UFMA. Você ficou em 6° e eu em 4° e eram apenas 2 vagas! Feliz por ver que já conseguiu sua aprovação. Eu ainda estou buscando a minha! Minha filha agora está com 9 meses é vai ser mais fácil retomar os estudos agora no 2° semestre!
    Vamos que vamos! Um abraço e parabéns!

    1. Poxa, Rafael, que legal! Parabéns pela colocação na UFMA, certeza que a sua aprovação não demora. Se precisar de qualquer material, me procura no face. Vou ficar feliz de ajudar!

  5. Obrigada por compartilhar este depoimento com a gente Gabriela. Como você disse, nos dá forças para continuar a caminhada e nos inspira também. Estou começando essa caminhada agora e assim como você no início, cheia de dúvidas sobre como estudar. Mas cada um tem seu tempo e sua maneira, né…rsrs
    Parabéns mil vezes! =D

    Obrigada também Mariana Mazza pelo ótimo trabalho deste site que tanto ajuda nossa classe concurseira..rsrs
    Bjos

  6. Oi pessoal! Primeiro quero dizer que fico muito feliz por uma pessoa tão lutadora como a Gabi ter conseguido a aprovação e melhor em 1º lugar.
    E fiquei muito comovida com o depoimento dela, principalmente por saber na pele que essa batalha é muito pesada.
    Hoje estudo, trabalho em dois locais e aguardo que me chamem em dois concursos. Mas sou profundamente indignada e aqui conto a vocês.
    Em um desses concursos, tenho a certeza plena ter sido 1º lugar, sem nenhuma sombra de dúvida, mas no resultado final fiquei, diz a lenda, em 4ª colocação. O concurso foi na UFPB, pra redator de TV, em duas fases. A 1ª colocada é simplesmente esposa de um funcionário que participou da banca. Além disso, diferentemente de mim e de outros candidatos, nem vinha fazendo concurso, nem trabalhava mais em TV (no ritmo) e ficou em 1º. A 2ª e o 3º colocados também nunca trabalharam em TV. Além de ser editora e produtora de uma afiliada da Globo (que é bem exigente) eu estudo e muito pra concurso. Pra esse especificamente eu me dediquei de corpo e alma: fiz esquemas, resumos, resolvi questões, fiz cursinho, enfim…tanto é que quando vi minha prova subjetiva eu quase choro porque sabia exatamente o que fazer de tanto que me preparei. Mas resultado: a fraude ocorreu e um dos professores da banca confirmou na minha cara. A pena é que nem eu, nem os outros candidatos tivemos como provar, já que o marido da 1ª colocada participou da banca por ‘debaixo dos panos’ como diz o ditado.
    Então imagina você passar por toda essa batalha e no final descobrir tudo isso.
    Ainda tenho esperança de ser chamada e poder voltar aqui para compartilhar minha felicidade com vocês.
    No mais, torço por todos os concurseiros que lutam de maneira digna para serem aprovados.
    Abraço a todos!

    1. Débora, minha sugestão é que acione o Ministério Público Federal. Se houve fraude nessa seleção, precisa ser investigada!

      1. Acionei a própria universidade, a comissão organizadora, o MPF, mas como não tenho provas concretas, como documentos, não consegui muito avanço. A pena é que na hora que o professor confessou na maior cara de pau eu não estava gravando. O que tenho são testemunhas, mas não adiantou.

      2. Caramba! Mas continue na luta que conseguirá a aprovação em um órgão muito melhor que um lugar como esse que aceita um tipo de atitude lamentável com essa…

  7. Poxa, Debora, que situação! Acho que a Mariana tem razão, um ambiente de trabalho como esse não poderia te trazer nada de construtivo. Melhor focar em outros concursos. Você tem garra, está se preparando, vai passar no que for melhor para ti! Parabéns pela luta e pela excelente colocação. Oportunidades melhores virão, com certeza!

  8. Parabéns Gabriela, seu depoimento é algo que incentiva cada vez mais a estudar e conseguir a minha vaga.
    Estou na fase das aprovações também, já passei em 3 concursos, perto da lista de Classificados, mas creio em Deus, que minha hora está chegando.
    Muito Obrigado por Deixar esse exemplo de vida, força e coragem nos concursos públicos.
    Sucesso no Serviço Público!
    Abraços

  9. A Gabi é uma fofa, tive o prazer de conhecê-la quando ela veio fz em prova em Brasília…ela é a prova viva da frase “gentileza gera gentileza”, porque o jeito que ela é com as pessoas, sempre muito prestativa, atenciosa e gentil….e o mundo devolveu isso a ela, com essa aprovação merecida, galgada a sangue e suor! beijo grande a ela! e força para os demais, como eu….

  10. Olá.
    Acompanho sempre o conteúdo do site. Agradeço seu empenho em manter atualizados os editais dos concursos.
    Passei em dois concursos e há dois anos estou trabalhando.
    Senti a necessidade de apenas observar aos colegas que passar no concurso é apenas a primeira fase. É preciso não mistificar o trabalho no serviço público, que de fácil não tem nada.
    Cheio de injustiças, escolhas políticas e pouco profissionalismo.

  11. Parabéns! Eu acho que já te vi em algum lugar em Boa Viagem. Mesmo assim, vais morar numa ótima cidade que é Salgueiro. Minha família é de lá e gosto bastante!

  12. Parabéns, mulher!! Aproveite a Rede IF/UF! Minha prima é de lá e sempre fala das oportunidades para engordar o contracheque como cursos de capacitações, mestrado, doutorado, pós-graduação e soube que até tem tutoria em EAD que técnico pode lecionar e até mesmo trabalhar para o Pronatec. Tudo isso engorda o nosso contracheque. E meu sonho de consumo dos concursos públicos, pois termino o doutorado em breve! Muito sucesso no seu novo cargo!

  13. Oi pessoal, primeiramente parabéns Gabriela! Certamente este momento é memorável na vida de um concurseiro.

    Aproveitando o ensejo gostaria de agradecer a Mariana, desde que entrei na faculdade em 2012 encontrei teu blog e a partir daí vivo aqui… Estou me preparando para alguns concursos, mesmo sabendo que não posso assumir nenhum (claro se eu passar) pois me formo final do ano que vem.Mas preciso ir me acostumando com o ambiente. Espero um dia poder dar meu depoimento aqui também.

    Att.

    Évelin

  14. Gabriela, parabéns!

    Já tás em Salgueiro?

    Eu tô em Salgueiro há quase 5 meses, trabalho na justiça federal.

    Se precisar de qualquer coisa é só falar.

    Um abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s