sabrina_victer

Depoimento: Sabrina Victer

sabrina_victer

Março de 2015. Recebo a mensagem de uma leitora no Facebook do blog pedindo dicas sobre o concurso da Marinha e alguns dias depois começamos a conversar.

– Olá! Entrei para essa vida de concurseira na virada de 2015, só que não sou jornalista, sou publicitária! Queria uma indicação sua pois vou tentar para Marinha, mas não quero esperar o edital sair…
– Dá uma olhada nesse depoimento da Jéssica, primeira colocada no último concurso porque ela dá umas dicas bem voltadas para quem está estudando para essa seleção.
– Que demais esse depoimento dela, adorei! Quem sabe ano que vem sou eu dando esse depoimento?
– Se Deus quiser! Boa sorte e bons estudos!

Sem saber, a Sabrina Victer estava profetizando o seu próprio futuro! Alguns meses depois dessa conversa, em novembro do ano passado, ela me avisou que tinha sido aprovada em primeiro lugar no concurso da Marinha (com apenas uma vaga) e hoje está escrevendo o seu depoimento para nos contar como foi essa trajetória.

Primeiro, emoção master com a nossa primeira publicitária concurseira aqui nos depoimentos! Aêêêê! Segundo, feliz por saber que os depoimentos aqui no blog estão inspirando vocês e ajudando de alguma forma nas suas aprovações! Continuem se enchendo de fé e esperança, elas potencializam os estudos!

E sobre a Sabrina, o que dizer de uma pessoa que traz aqui uma oração para os estudantes? Fofa, não tem outro adjetivo!

Sabrina, parabéns por sua garra e determinação! Por ter acreditado em seu próprio potencial e não ter medo de correr atrás dos seus sonhos! Que você seja muito feliz na Marinha! Obrigada por contar sua história como um roteiro de filme, que vai nos envolvendo até o final!

“Olá, pessoal! Tudo bem com vocês? Me chamo Sabrina Victer e sou a abençoada que passou na única vaga que saiu em 2015 para o Quadro Técnico da Marinha na área de Comunicação Social. Vim contar um pouco da minha história, pois o depoimento da amiga Jéssica Martins – que entrou no concurso anterior – foi uma luz no meu caminho concurseiro, deu o “start” que eu precisava. Espero passar essa bola para frente e poder colaborar com meus futuros colegas de trabalho também! Não vou me ater a técnicas de estudo, pois acredito que cada um funcione melhor de um jeito. Meu objetivo maior é dividir essa jornada com vocês e inspirar a crença em si mesmo.

Tudo começou na virada de 2014 para 2015: naquela tradicional reflexão de Réveillon, decidi que ia virar concurseira. Como profissional da área de Comunicação, ainda mais habilitada em Publicidade, estava cansada desse mercado de trabalho louco, estressante e mal remunerado, pelo menos para a maioria dos mortais! Tive a grande oportunidade (sei que muitos não têm) de poder parar de trabalhar e focar só nos estudos, estava determinada a me dar um prazo de 2 a 3 anos tentando passar em algum concurso. Qualquer concurso? Não. Pesquisei com amigos concurseiros, grupos, gurus, etc., e entendi que teria que focar em concursos com a mesma pegada. Por isso resolvi focar em Agências Reguladoras: ANCINE, ANVISA, ANTAQ, ANAC, ANA, etc. Elas tinham basicamente o mesmo programa de conhecimentos básicos e a legislação inerente a cada área específica. Ok. Cheguei a me matricular em um curso para a área de Direito (parêntese: Rodrigo Motta é o caaaara do Direito Administrativo! <3) e passei os meses de janeiro e fevereiro na biblioteca da minha pós-graduação, de segunda a sexta, ia após o almoço e só saia quando fechava, às 21:30. Organizei uma grade de estudo que pegava as matérias básicas exigidas nas AR’s.

Foi quando uma amiga minha, Débora (Debby, muito obrigada para sempre! Você nem sabia, mas estava mudando o rumo da minha vida naquele momento! <3), que já havia passado nesse concurso da Marinha na área de Psicologia, numa conversa informal me contou que também abriam vagas pra Comunicação Social:

– Opa! Mas o que cobram?
– Só específica!
– Só específica? Nada de Direito? Nada de Raciocínio Lógico? Nada de Informática?
– Não! Só específica!
– Hummmmm…… (me interessei super!) E tem previsão de abrir concurso?
– Abre todo ano!
– Hummmmm…… (me interessei ainda mais e fui pesquisar a respeito)

O fato de não cobrar outras matérias não significa que é uma prova mais fácil de passar, mas para quem estava estudando há pouco tempo e não tinha muito contato com todas as outras matérias (Direito, Info, RL, etc.), eu achei interessante! Além do mais, só a certeza de todo ano poder tentar novamente, com o conhecimento acumulando ano a ano, era uma grande vantagem. (OBS.: lembrando do limite de idade, 35 anos) E sem contar que eu já tinha aceitado que provavelmente iria jogar para o alto 3 anos de ensino técnico em Propaganda e MKT, 4 anos de faculdade e 2 de pós em MKT Digital para trabalhar como Analista Administrativo, então passar para um concurso onde conseguisse trabalhar na minha área que tanto gosto era o que mais pesava.

Nesse momento decidi parar de estudar para as Agências Reguladoras e focar apenas na Marinha, pois caia matéria de Jornalismo (sabia nada) e de Relações Públicas (sabia menos ainda!). Arregacei as mangas, baixei todas as provas disponíveis no site e fui entender a banca e como ela gostava de cobrar o conteúdo. Sabe o que percebi? Que eles cobram exatamente o que os autores da bibliografia escrevem. Não adianta tentar fazer associações com a prática, nem reclamar que tal ideia já está obsoleta. Apenas entenda e GRAVE (isso, decore) o que o autor está dizendo em cada livro e você certamente será muito bem sucedido na prova. Eu não lia nem jornal no período de estudo, guardei toda a minha capacidade de memorização para os livros, que não foram poucos!

Comecei a estudar em março, adquirindo pouco a pouco os livros da bibliografia do último concurso no site Estante Virtual, foi ótimo, só tive experiências boas! Fiz o fichamento da maioria deles (tirando uns como o Dicionário do Rabaça e Barbosa que nem teria como resumir e a bíblia do MKT do Kotler que é gigantesco e deixei por último, acabou não dando tempo!), sempre me atendo aos conceitos, às tipificações e às palavras que não conhecia. O fichamento era exatamente um resumo dos pontos mais importantes a serem memorizados. A banca adora questões taxonômicas (minha querida prof Simone Orlando sempre dizia isso nas aulas), nas quais os autores classificam o que quer que seja, ex.: tipos de releases, tipos de lides, tipos de propagandas, tipos, tipos, tipos, etc. Não adianta fazer fichamentos quilométricos, pois eles devem ser uma ferramenta para você identificar rapidamente nos tópicos o que deve ser memorizado. E só com HD externo para memorizar tudo, portanto atenha-se ao mais importante e ao que você não conhece ou tem dificuldade.

Paralelamente aos estudos por conta própria, fui me inteirar sobre o curso Radix, que já abre há uns anos turma intensiva para esse concurso. Só mais próximo do concurso que eles abrem a turma (maio), mas já me informei sobre tudo e fiquei na espera. Achei que era um investimento necessário, pois achava válido priorizar tudo que fosse me ajudar a passar. Se me perguntarem:

– Você acha que o curso foi determinante para seu êxito?
– Sim, eu acho que foi determinante, pois não sabia nem o básico sobre Jornalismo e RP, e os professores de lá são maravilhosos. Sem contar que eles já conhecem a pegada da banca, então também orientam a como pensar nas questões que podem surgir. Obviamente NÃO SUBSTITUI a #leitura&fichamento&memorização dos livros, mas ajuda e muito!

Queria até dar um destaque e agradecimento especial para a professora Alessandra Porto (de RP), os ensinamentos dela ficaram na minha memória muito nitidamente, várias questões eu não tinha dúvida, pois escutava ela falando dentro da minha mente. Ela não só tem talento para explicar, mas também uma responsabilidade imensa e humildade de admitir e não passar aquilo que ela não domina. E isso é muito admirável. Os outros professores também, como Simone Orlando, Patrícia Saldanha, Thomas Oliveira, Claudio Cotrim, Felipe Barreto, enfim! Esses feras fizeram a diferença nessa minha jornada! Obrigada de ❤ a todos!

Bom, o curso já tinha começado, minha rotina era: acordava 10:00 > ia para a academia > voltava > almoçava > caia nos livros + fichamento > parava só para me arrumar pro curso > curso > voltava 22h para casa. Quando finalmente o tão esperado edital saiu….. com APENAS 1 vaga! Aff… teve gente que largou o curso, que desistiu, que desanimou. E você, Sabrina, desanimou? Claro que foi um baque e eu também senti, mas ecoava uma vozinha que dizia: você só precisa de uma vaga! Obviamente eu já estava fazendo planos de, se não passasse de primeira (realmente acreditava que era o que provavelmente ia acontecer), ficaria mais um ano estudando no mesmo ritmo e tentaria mais uma vez. Foi quando minha madrinha (tia Sandra, você é demais!) me deu aquelas orações de santinho e me apresentou São José de Cupertino – protetor dos estudantes. É um santo que passou dificuldade para ser admitido nos mosteiros por não ser muito sagaz nos estudos, mas sua fé o levou a conseguir realizar seus sonhos. Quando li a oração, nem acreditei, parecia que ela falava comigo! (No final do depoimento vou colocar a oração para quem tem fé como eu!) E a partir desse dia sempre antes de começar a estudar lia a oração dele e deixava ali do meu lado, me dando força. Nessa época já tinha parado de estudar na biblioteca, pois acabava gastando tempo indo e vindo, dinheiro para comer na rua, e já tinha entrado no ritmo de estudar em casa. Acho que, para quem tem dificuldade de concentração, ir para um lugar onde o ambiente ajude a não distrair é legal, pelo menos até pegar no tranco!

Quando saiu a data da prova: 23 de agosto! Justamente o dia que completava 1 ano de casada! Era um sinal para mim, a partir desse ano teria 2 motivos para comemorar a data! Hehe… começou a fase mais tensa da preparação. Ainda faltavam livros para ler e fichar, então decidi dar um pause na academia, pois nada adiantaria eu continuar treinando para o teste físico se não passasse na objetiva, certo? Comecei a acordar às 9h, já pegava no livro, parava só para almoçar, voltava aos livros e de noite ia para o curso. Sábado, domingos, todo mundo indo para a praia, eu liberava o maridão e ficava estudando até aquela hora que a gente já não retém mais nada. Às vezes no curso tínhamos aula a semana toda, sábado e as vezes até domingo! E eu nunca faltei uma aula, mal chegava atrasada. Fora que ia para o curso no metrô ouvindo as aulas gravadas em sala. Aniversários e vida social só após as 22h quando acabava o curso ou aos sábados de noite. Sem beber para não atrapalhar os estudos do dia seguinte. Foi sacrifício? Sim. Foi privação? Foi. Mas tudo valeu a pena!

Faltando 15 dias para a prova, ainda tinham uns 2 livros que não tinha lido, mas não dava mais tempo. Relaxei. Nesses casos me baseei apenas no conteúdo passado no curso, mais uma vez Radix fazendo a diferença. Comecei a reler os fichamentos e fazer resumo dos resumos, dessa vez com post-it’s colados em cima das fichas, destacando ainda mais os pontos importantes.

Até a sexta antes da prova tivemos aula no curso, estava muito cansada mentalmente. Gente, não se iludam: não é fácil! Mas no dia da prova eu fui com pensamento de gabaritar, pois com apenas 1 vaga a disputa seria muito acirrada. Estava preparada, totalmente focada, sem deixar o emocional me abalar, apesar do nervosismo inevitável. O tema da redação estava me preocupando, mas revelaram logo no início da prova e era um tema tranquilo (O país que queremos deixar para nossos filhos), então relaxei e fui fazendo a prova com calma. Até mais ou menos a vigésima questão eu não tinha dúvida nenhuma, fui achando fácil… Estava tudo fresquinho na memória por causa dos fichamentos que reli nas 2 semanas anteriores. Mas no final da prova confesso que já estava bem cansada. Dei uma pausa para fazer a redação, depois voltei nas questões que tinha dúvida, deixei um tempo sobrando para marcar o cartão com calma (isso é imprescindível!).

Quando saí da prova, todos falando que a prova estava difícil, pensei: pronto! Achei fácil porque devo ter errado tudo! Mas chegando em casa comecei a pegar os livros e vi que muitas eu realmente tinha acertado. Enfim, não vamos especular, esperemos o gabarito! Quando depois de torturantes semanas ele veio, realmente eu tinha errado apenas 2 questões, nem acreditei! Todos já começaram a me parabenizar e isso é muito louco, pois você não sabe se outra pessoa acertou 1 a mais que você e ficou com a vaga, então decidi relaxar, colocar o pé no chão e tentar conter a expectativa até o resultado sair. Pelo sim, pelo não, voltei para a academia e comecei a treinar para o teste físico, pois tinha parado para estudar e nunca fui muito amiga da esteira.

Atrasaram, atrasaram e quando finalmente saiu o resultado…. Eu fui pra galera! Rs… É uma sensação muito boa, gente! Um mix de orgulho, gratidão, incredulidade, sensação de dever cumprido e alívio. Tudo junto e misturado! Nesse momento também achei válido pegar uma personal trainner, pois meu tempo na corrida estava em cima do laço e nada podia dar errado dali pra frente.

De resto correu tudo bem: inspeção de saúde, corrida, natação. Nesse aspecto a Marinha é a Mãerinha, os testes são lights, deu tudo certo.

E agora cá estou eu, esperando o Curso de Formação de Oficiais (CFO) começar, ansiosa pela nova rotina. Bom, falei pacas, afinal, gosto de me comunicar! Hehe… Essa é a minha história, que pode ser parecida com a sua em um futuro breve. É só querer, focar e (no meu caso) ter fé que tudo vai dar certo!

Para finalizar eu queria agradecer a todos que torceram por mim, meu marido Thiago pelo apoio incondicional a todo momento, meus familiares pela força, amigos que entenderam meu “sumiço”, a Débora por me abrir os olhos para o concurso, aos professores que fizeram a diferença, a galera do curso que criou um clima de amizade e não de concorrência, a São José de Cupertino e a Deus, que estiveram comigo o tempo todo. Vocês são maravilhosos! ❤

Ah! Algumas pessoas tem tentado entrar em contato comigo pelas redes sociais, então para facilitar deixo aqui meu e-mail: sabrinavicter@hotmail.com , fiquem à vontade para mandarem comentários, perguntas, etc. Terei maior prazer em ajudá-los!

Beijos e sucesso a todos!

Oração de São José de Cupertino:

Gloriosíssimo São José de Cupertino, protetor dos estudantes, não desprezeis as súplicas que os dirijo implorando vosso auxilio nas provas de meus estudos.

Alcançai-me do Senhor que, como verdadeira fonte de luz e sabedoria, dissipe as trevas de meu entendimento, o pecado e a ignorância, instruindo minha língua e difundindo em meus lábios a graça de sua benção.

Dai-me agudeza para entender, capacidade para reter, método e faculdade para aprender, sutileza para interpretar, e no momento do exame, graça e abundancia para falar, acerto ao começar, direção ao continuar e perfeição ao acabar, se assim convém a maior glória de Deus e proveito de minha alma. Como gratidão, eu prometo fazer-vos conhecido e invocado.Amém.

OBS.: tudo que falei aqui é minha opinião, não uma verdade absoluta.”

16 opiniões sobre “Depoimento: Sabrina Victer”

  1. Parabéns, Sabrina! Sucesso e felicidades!

    P.S. esses áudios que você falou que escutava no metrô são de quais matérias? Posso ter a ousadia de pedir para compartilhar conosco? kkkk

    1. Oi, Bruno! Obrigada! Na verdade esses áudios foram gravados em sala de aula e seria, no mínimo, pirataria repassar pra alguém! rss.. Desculpe não poder ajudar nesse caso! =/

  2. Que chique!!!! Parabéns, Sabrina! Estou estudando muito também e seu depoimento serviu de inspiração. Sucesso e obrigada por compartilhar.

  3. Parabéns, Sabrina! Felicidades nessa sua nova vida!

    P.S. Não deixei de reparar que você falou de aulas em áudio que ouvia no metrô… Trata-se de quê? Sendo um pouco mais folgado… poderia me mandar? kkkkk

    Sucesso!

  4. Sabrina vc é uma guerreira! Parabéns pelo vitória!
    Seu depoimento foi uma inspiração 🙂
    Saudade dos nossos lanches da marinha! Haha

  5. Sabrina, vc é de mais……adorei seu depoimento. Boa sorte ai no CFO e vai me passando todas as dicas q vc adquirir, pq ano q vem serei eu a dar o depo…. bjsss

  6. Parabéns pela sua conquista, Sabrina! Muito sucesso e felicidade nesse novo desafio!

    Vi que você falou em aulas em áudio que escutava no metrô. São de comunicação? Quais assuntos?

  7. Boa tarde, Sabrina!

    Sou publicitária igual a você! Tenho algumas dúvidas… Espero que você possa me ajudar.

    – Sobre aquele curso Radix, sabe se posso ter o mesmo conteúdo em EAD? Sou de São Paulo.
    – Depois de aprovada, durante o CFO que dura várias semanas, vocês não saem da ilha ou podem sair? Com que frequência?
    – Onde é o local de trabalho de comunicação social? Pesquisei em todo lugar, não achei. Como é a jornada? Vai e volta para casa todos os dias?

    Muito obrigada por abrir meu e-mail e ler até aqui. No aguardo das respostas! E parabéns pelo seu cargo.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s