Suspensão do concurso da Dataprev

dataprevA Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social (Dataprev) decidiu suspender o concurso público que vai formar cadastro de reserva de 4.019 vagas. Serão mantidas apenas as provas para o cargo de Analista de Tecnologia da Informação nas áreas de Prospecção de Soluções e Melhoria de Processo e Análise de Informações.

A Justiça Federal, atendendo a um pedido do Ministério Público Federal em Rondônia, determinou a suspensão. Devido a um problema com os malotes das provas da cidade de Porto Velho/RO, houve o cancelamento do certame e a realiação de novas provas apenas neste município. O MPF entendeu que essa decisão foi desrespeitosa e desigual, uma vez que as novas provas seriam diferentes das realizadas para candidatos ao mesmo cargo que fizeram a prova em outros estados.

A Dataprev divulgou um comunicado em que afirma estar tomando as medidas necessárias para o andamento do certame. Leia o texto na íntegra:

“COMUNICADO

Em atenção à decisão, em caráter liminar, proferida nos autos da Ação Civil Pública nº 962-52.2015.4.01.4100, da 2ª Vara Federal da Seção Judiciária de Porto Velho (RO), o Instituto QUADRIX informa que o concurso público nº 01/2014 da Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social – DATAPREV, está temporariamente suspenso para todos os cargos, com exceção ao cargo de Analista Tecnologia da Informação, para os Perfis: Análise de Informações e Prospecção de Soluções e Melhoria de Processos, até que sejam apreciados os recursos e pedidos judiciais de reforma.

Todas as medidas necessárias para o devido prosseguimento do certame estão sendo adotadas.

Novos procedimentos decorrentes da referida decisão e demais informações referentes ao certame serão divulgadas no endereço eletrônico http://www.quadrix.org.br/concursodataprev2014.aspx em data oportuna.”

30 opiniões sobre “Suspensão do concurso da Dataprev”

  1. Que decisão geralmente é tomada nessa situação? Em um concurso nacional dessa amplitude, é justo ter de reaplicar a prova novamente em todas as cidades?
    Obrigado.

    1. É o que acredito que vai acontecer. A banca vai ter que oferecer nova data de prova e possibilidade de pegar o dinheiro de volta para quem não quer ou não pode fazer a prova novamente.

  2. Pessoal,

    Acho q os prejudicados nesse concurso deveriam montar um blog para discutirmos o que poderemos fazer para pedir pelo menos uma explicação ou acionar a justiça com relação aos quase 62.000 candidatos que tiveram a prova suspensa devido a falha da própria organizadora.
    Isso é uma falta de respeito com o candidato que estuda bastante para fazer o concurso e depois o concurso é suspenso ou anulado.

    1. O concurso foi anulado exatamente por problemas com a prova que prejudicaram a lisura da seleção. Acredito que foi correta a atitude do MP de solicitar a anulação. O que a banca deve fazer agora é oferecer nova data de prova e possibilidade de pegar o dinheiro de volta, para quem não queira ou não possa fazer novamente a prova.

      Meu blog está de portas abertas para que possam fazer discussões e acompanhar o andamento desse concurso. Sugiro também que estejam acompanhando as determinações do MP, e, se necessário, façam novas denúncias ao órgão (ex: se a banca não der a possibilidade de pegar o dinheiro de volta).

      1. Não acho justo que os que fizeram a prova, que estudaram, que ralaram e que passaram no concurso tenham seu direito revogado.
        Discordo o seu argumento, os caras que foram aprovados estão tendo seus sonhos arrancados de suas mãos como uma mãe que tem seu filho morto. Fazer uma nova prova é dizer, engravide novamente. A situação dos prejudicados em RO é realmente complicada, mas os que fizeram a prova e foram aprovados acho que são muito mais lesados, a não ser que a decisão tivesse sido tomada antes da divulgação dos resultados.

  3. A atitude foi uma verdadeira palhaçada!a pesar do erro, houve a aplicação da prova em um outro momento para aqueles que não puderam realizá-la. Agora, se não houve para estes a capacidade de aprovação, não faz sentido anular o Concurso por inteiro e prejudicar quem já foi aprovado. A aplicação de uma nova prova somente reafirmará a incapacidade de aprovação, pois os conteúdos exigidos foram os mesmos.

    1. Se não foram exatamente as mesmas questões, isso não garante o direito fundamental de igualdade para os candidatos. É assim que o MP entende, garantido o que está previsto na Constituição Federal para todos.

      1. Se é o caso, acredito que deveria haver um novo concurso apenas para os que não puderam fazer a prova, garantindo o mesmo numero proporcional de vagas, porém o problema nessa minha proposta seria quem pagaria a conta. A Dataprev seria lesada em abrir vagas a mais por um erro de quem aplicou o concurso.

  4. Falando nisso Mariana, sempre gostei muito dos seus posts, acompanho.
    Mas tome cuidado com as informações divulgadas, credibilidade é tudo.

    1. Claro, Felipe! Não sei tudo sobre concursos, mas sempre que divulgo uma informação errada, corrijo. Aliás, o que todo jornalista tem que fazer, né? Valeu pela dica!

  5. Quer dizer que quem foi aprovado talvez tenha que fazer a prova de novo? Que palhaçada!

    Por favor, Dataprev, não cancele o concurso por inteiro. Quem foi aprovado, o fez com total honestidade e lisura. Merece assumir o cargo.

    1. Maurício, é preciso aguardar um posicionamento da banca, mas eu acho que serão feitas novas provas. Não tem como avaliar da mesma forma quem fez uma prova e outros que fizeram prova diferente para ao mesmo cargo…

      Mas vamos acompanhar como as coisas vão se resolver.

  6. Ano passado ocorreu o mesmo problema na prova de agente da PRF e o concurso não foi cancelado, mesmo algumas pessoas tendo que fazer prova em outro dia. Foi feito uma TAC pela equile organizadora do concurso e pronto.
    Se cancelar o DATAPREV tem q cancelar o da PRF também. Porque 2 pesos e 2 medidas ?
    As pessoas que foram prejudicadas tiveram a oportunidade de desistir do concurso e pegar o dinheiro de volta. Se foram prejudicados, NINGUÉM poderia ter ido fazer a prova, no momento em que 1 pessoa foi fazer a prova no dia 18/12, todos perderam o direito de reclamar.

    1. Quem se sentiu mais prejudicado foi quem não fez a prova novamente. Foram essa pessoas principalmente que acionaram o MP.

  7. Eu fui aprovado, e exigo o meu direito de assumir uma vaga; Por que o MP não interferiu lá em dezembro quando teve nova data para as provas daquele estado?:
    È nego querendo aparecer!

    1. Olha galera não é querendo dar uma de bonzão e nem tirando sarro com a cara de quem foi fazer a prova no dia correto e teve de voltar pra casa e fazê-la uma semana depois mas, se isso tivesse acontecido comigo ficaria chateado, mas grato de ter mais uma semana de estudos para a prova e tentaria tirar proveito dessa situação. Poderia consultar colegas que fizeram a prova para saber o nível de dificuldade das questões, como foi a redação entre outros quesitos. Então quem fez a prova no dia marcado é quem tinha direito de reclamar em relação aos outros pois estes, detinha informação privilegiadas sobre as provas o que poderia ser considerado uma vantagem aos demais. Já que não foi comprovado fraude no concurso acho que foi um erro danado a suspensão do concurso. E para finalizar, to puto de raiva, por que eu passei.

  8. Galera,

    A maioria foi prejudicada, ou seja, quase 62 mil candidatos por causa de uma minoria de 600 e poucos candidatos. Tenho certeza q esses 600 e poucos tivessem sido aprovados não tinham entrado com processo na justiça. Agora por isso, todos irão ser prejudicados?…acho uma palhaçada isso.
    As pessoas que estudam pra valer e são classificado no concurso e depois têm o concurso suspenso? Temos q exigir os nossos direitos, pois os mais prejudicados na verdade foram os que estão classificados no concurso.

  9. Ridículo é uma sacanagem com quem estudou, se matou perdeu horas da sua vida estudando para este concurso, passou, ai vão realizar uma nova prova, sacanagem. É constatado fraude no instituto QUADRIX e quem paga o pato é o candidato que estudou e passou. Acredito que poderíamos ao menos pedir para que a banca avaliadora também sofra punições pesadas pelo ocorrido. Estou indignado. Quem tiver disposto estou junto ai para entrar em ações ou qualquer iniciativa em conjunto que queiram tomar contra a DATAPREV e a banca QUADRIX.

    1. Pessoal,

      estou com vocês se precisarem de uma iniciativa em conjunto para acabar com essa palhaçada. Vamos esperar a decisão do Juiz e ver se ele vai decidir suspender definitivamente o concurso ou não. Por que ele prejudicaria milhares de candidatos, “a favor” de apenas alguns?

  10. Também passei neste concurso… to puto da vida com essa merda que não sai logo, porém concordo com a opinião publicada anteriormente, de que quem teve a oportunidade de fazer a prova novamente teve mais chances que os d+ candidatos, pois tiveram a possibilidade de estudar mais para o referido concurso e além disso sabiam o nível de dificuldade das questões, mas é a única forma de garantir o direito a todos. É complicado de pensar e avaliar o que é justo, mas sempre teremos uma pequena parte prejudicada em casos assim, não acredito na suspensão do concurso mas que deve haver uma punição a organizadora e deve permanecer como está.

  11. Quem teve que fazer a prova uma segunda vez não foi prejudicado. Apesar de provas diferentes, a 2ª prova seguiu o conteúdo programático do Edital, o mesmo para todos. Isso sem mencionar mais tempo para estudar e conhecer o que caiu na 1ª prova.

  12. Gostaria de saber se alguém tem ideia de quando deve sair uma resposta da Justiça sobre a suspensão do concurso.
    Vai levar mais um, dois, três…. meses?

  13. As provas foram realizadas em todo o Brasil. Foram cerca de 62 mil pessoas que se inscreveram no concurso, não é isso? E houve problema com o malote de provas da cidade de Porto Velho (RO). Rondônia é um dos menores estados da União. O que fazer nesse caso? Cancelar todo o concurso??? O MPF entende que as provas não podem ser diferentes das realizadas para candidatos ao mesmo cargo que fizeram a prova em outros estados. Nesse caso, já que por motivos lógicos a mesma prova não poderia ser feita em Porto Velho numa data posterior, restam duas opções: cancelar as provas em Porto Velho e devolver o dinheiro aos que lá se inscreveram (o que não foi feito) ou cancelar o concurso em todo o Brasil (decisão absurda). Como comparação imagine uma pessoa que sente uma forte dor no dedinho do pé. O que é mais justo: fazer o tratamento no dedinho do pé ou matá-la porque não é justo o dedinho do pé sentir dor e o resto do corpo não? Por que o MPF não se preocupa em ser justo com os candidatos que foram aprovados de forma lícita e tiveram seus nomes publicados no D.O.U.? É assim que o MPF quer ser justo? Então por que não anula definitivamente o concurso e obriga o DataPrev a devolver o dinheiro para os 62 mil candidatos inscritos em todo o Brasil (todos, sem exceção)???

  14. Acabaram de anunciar a continuidade do concurso. As novas datas de divulgação das provas de título e resultado final devem ser anunciadas até o final da semana.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s