Duas vagas para Comunicação Social no Exército Brasileiro

exercitoFOTO: Tânia Rêgo/ Agência Brasil

O Exército Brasileiro está com inscrições abertas para o concurso de carreira que oferece duas vagas para as áreas de Comunicação Social. OS aprovados farão o Curso de Formação de Oficiais no Quadro Complementar (CFO/QC) que dura 9 meses e é realizado na Escola de Formação Complementar do Exército (EsFCEx), em Salvador. Após o término do curso, é nomeado 1º Tenente e designado para a unidade onde houver a vaga.

Para concorrer a uma das vagas, é necessário possuir no máximo 36 anos até a data de 31 de dezembro de 2015, ter diploma de Bacharel, registro profissional e não ter sido considerado isento do Serviço Militar.

Vejam os detalhes:

CARGO: Comunicação Social

VAGAS: duas

SALÁRIO: R$ 6.576,00 (salário do 1º Tenente a partir de março de 2015. Não sei como é no Exército, mas normalmente durante o curso de formação o salário é um pouco menor, portanto tenham esse valor como estimado)

INSCRIÇÕES: até 08 de agosto no site da EsFCEx

VALOR: R$ 110,00

ETAPAS DA SELEÇÃO
– Exame intelectual (EI): prova objetiva que será realizada em 14 de setembro. Serão 40 questões de Conhecimentos Específicos e 30 questões de Conhecimentos Gerais (7 de Língua Portuguesa, 8 de História do Brasil, 8 de Geografia do Brasil e 7 de idioma estrangeiro: Língua Inglesa OU Espanhola).
– Inspeção de saúde (IS): realização de exames de saúde.
– Exame de aptidão física (EAF): flexão de braço, abdominal, corrida e flexão em barra (está última atividade só para homens, as outras para ambos os sexos).
– Verificação documental preliminar: entrega de documentos exigidos.
– Revisão médica e comprovação dos requisitos para a matrícula: entrega de laudos dos exames da IS e documentos, já em Salvador.

O QUE ESTUDAR
1) LÍNGUA PORTUGUESA (7 QUESTÕES)
1. Ortografia 2. Acentuação 3. Pontuação 4. Classe, estrutura e formação das palavras (morfossemântica) 5. A oração e seus termos (morfossintaxe) 6. Concordância verbal e nominal 7. Regência verbal, regência nominal e emprego de crase 8. O texto e a construção de sentidos 9. Coerência e coesão 10. Emprego dos tempos, modos verbais e vozes verbais 11. Fenômenos semânticos (metáfora, metonímia, sinonímia, antonímia, eufemismo, hiperonímia, ambiguidade, vaguidade, polissemia, homonímia)

BIBLIOGRAFIA
ANTUNES, Irandé. Lutar com as palavras: coesão e coerência. São Paulo: Parábola, 2005.
BECHARA, Evanildo. Moderna Gramática Portuguesa. 37. ed. rev. amp. atual. Rio de Janeiro: Lucerna. 2009.
FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira, S.A.
OLIVEIRA, Luciano A. Manual de semântica. Petrópolis: Vozes, 2008.

2) HISTÓRIA DO BRASIL (8 QUESTÕES)
1. Brasil Colônia: administração, economia, cultura e sociedade a. Capitanias Hereditárias e Governos Gerais. b. As atividades econômicas e a expansão colonial: agricultura, pecuária, comércio e mineração. c. Os povos indígenas; aldeamentos; ação jesuítica. d. As camadas senhoriais, os escravos e outros trabalhadores. e. A conquista dos sertões; entradas e bandeiras. f. O exclusivo comercial português. g. Os conflitos coloniais e os movimentos rebeldes de livres e de escravos do final do século XVIII e início do século XIX. h. A transferência da Corte portuguesa para o Brasil e seus efeitos; o período joanino no Brasil. 2. O Brasil Monárquico a. A independência do Brasil e o Primeiro Reinado. b. A Constituição de 1824. c. Militares: a Guarda Nacional e o Exército. d. A fase regencial (1831-1840). e. O Ato Adicional de 1834. f. As revoltas regenciais. g. Centralização x descentralização. h. A consolidação da ordem interna: o fim das rebeliões, os partidos, a legislação, o fortalecimento do Estado, a economia cafeeira, a tributação. i. Modernização: economia e cultura na sociedade imperial. j. A escravidão, o movimento abolicionista e a abolição. k. A introdução do trabalho livre. l. Política externa: as questões platinas, a Guerra do Paraguai e o Exército. m. O movimento republicano e o advento da república. 3. A República brasileira a. A Constituição de 1891, os militares e a consolidação da República. b. A “Política dos governadores”. c. O coronelismo e o sistema eleitoral. d. O movimento operário e. O tenentismo. f. A Revolução de 1930. g. O período Vargas (1930-1945): economia, sociedade, política e cultura. h. A crise do governo Vargas. i. O período democrático (1945-1964): economia, sociedade, política e cultura. j. A intervenção militar, sua natureza e transformações entre 1964 e 1985. k. O milagre econômico. l. A redemocratização. m. Os movimentos sociais nas décadas de 1970 e 1980. n. A campanha pelas eleições diretas. o. A Constituição de 1988.

BIBLIOGRAFIA
ALGRANTI, Leila Mezan. D. João VI: os bastidores da independência. São Paulo: Ática, 1987.
ALMEIDA, Gelsom Rozentino de. História de uma década quase perdida – PT, CUT, crise e democracia no Brasil -1979/1989. Rio de Janeiro: Garamond, 2011.
CARVALHO, José Murilo de. A construção da ordem: a elite política imperial. Teatro de sombras: a política imperial. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.
______. Cidadania no Brasil, o longo caminho. 11. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008.
CAPELATTO, Maria Helena. O movimento de 1932: a causa paulista. São Paulo: Brasiliense, 1981.
CASTRO, Celso; IZECKSOHN, Vitor; KRAAY, Hendrik (Org.). Nova História Militar Brasileira. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2004.
CASTRO, Therezinha de. História da Civilização Brasileira. Rio de Janeiro: Capemi, 1982.
COSTA, Emília Viotti da. Da monarquia à república: momentos decisivos. São Paulo: Fundação Editora da UNESP, 1999.
FORJAZ, Maria Cecília Spina Forjaz. Tenentismo e política: tenentismo e camadas médias urbanas na crise da Primeira República. São paulo: Paz e Terra, 1977.
FAUSTO, Boris. História do Brasil. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo. Fundação para o Desenvolvimento da Educação, 2000.
______. A revolução de 1930: historiografia e história.
______. História Geral da Civilização Brasileira. O Brasil Republicano. Sociedade e Instituições (1889-1930). Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1990. (Tomo III, v. 2).
FRAGOSO, João; SAMPAIO, Antonio Carlos Jucá. Monarquia pluricontinental e a governança da terra no ultramar atlântico luso – Séculos XVI-XVIII. Rio de Janeiro: Mauad X, 2012.
FURTADO, Celso. Formação econômica do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.
GRINBERG, Keila; SALLES, Ricardo (Org.). O Brasil Imperial. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2009. 3 volumes.
HABERT, Nadine. A década de 70: Apogeu e crise da ditadura militar brasileira. São Paulo: Ática, 2006.
JANOTTI, Maria de Lourdes Mônaco. O coronelismo: uma política de compromisso. São Paulo: Brasiliense, 1992.
LINHARES, Maria Yedda (Org.). História Geral do Brasil. 9. ed. Rio de Janeiro: Campus, 2000.
LOPEZ, Luiz Roberto. História do Brasil Contemporâneo. 2. ed. Porto Alegre: Mercado Aberto: 1983.
MALERBA, Jurandir (Org.). A independência brasileira. Novas dimensões. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2006.
MONTEIRO, Hamilton. Brasil República. São Paulo: Ática, 1986.
MONTEIRO, John Manuel. Negros da terra: Índios e bandeirantes nas origens de São Paulo. São Paulo: Companhia das Letras, 1994.
MOTA, Carlos Guilherme (Org.). Brasil em Perspectiva. 17. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1988.
PRADO Jr., Caio. Formação do Brasil Contemporâneo. 23. ed. São Paulo: Editora Brasiliense, 1994. 390 p.
RODRIGUES, Marly. A década de 80. Brasil: quando a multidão voltou às praças. São Paulo: Ática, 1992.
SCHWARTZ, Stuart B. Segredos Internos: engenhos e escravos na sociedade colonial. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.
TAVARES, Luís Henrique Dias. O primeiro século do Brasil: da expansão da Europa Ocidental aos governos gerais das terras do Brasil. Salvador: EDUFBA, 1999.
TOLEDO, Caio Navarro de. O Governo Goulart e o golpe de 64. 8. ed. São Paulo: Brasiliense, 1987.

3) GEOGRAFIA DO BRASIL (8 QUESTÕES)
1. Espaço Geográfico Brasileiro a. A formação do território nacional. b. A inserção da economia brasileira no processo de globalização da economia: 1) o Brasil e o Mercosul; e 2) o desenvolvimento econômico e os indicadores sociais no Brasil. c. O espaço industrial brasileiro: 1) o papel do Estado na industrialização brasileira; 2) o período desenvolvimentista e os PNDs; 3) o tripé da industrialização: empresas multinacionais, nacionais e estatais; 4) concentração e desconcentração industrial no Brasil; 5) características atuais da industrialização brasileira; e 6) diversificação industrial brasileira. d. A urbanização:
1) a urbanização brasileira no século XX; 2) o processo de metropolização no Brasil; 3) a urbanização e as etapas da industrialização; e 4) os problemas urbanos. e. A rede de transportes e comunicação brasileira, sua estrutura e evolução. f. O espaço rural brasileiro:
1) características do mundo rural brasileiro; 2) concentração fundiária no Brasil; 3) a expansão das fronteiras agrícolas; 4) o uso da terra; 5) a modernização da agricultura no Brasil; 6) a reforma agrária e as lutas sociais no campo; 7) a produção de matérias-primas no campo;
8) a produção de alimentos; e 9) a produção de biocombustíveis. g. A população brasileira: 1) a formação, estrutura e dinâmica da população brasileira; 2) evolução do Índice de Desenvolvimento Humano; 3) o imigrante na formação do Brasil Contemporâneo; 4) os fluxos migratórios internos; 5) as novas fronteiras populacionais; e 6) os movimentos emigratórios no Brasil. 2. A questão regional no Brasil a. A regionalização do país. b. O planejamento regional no Brasil. c. As desigualdades regionais.d. A geopolítica amazônica. 3. O espaço natural brasileiro – Seu aproveitamento econômico e o meio ambiente a. Aspectos morfoclimáticos do território brasileiro, as bases geológicas do Brasil, as feições e as classificações do relevo brasileiro. b. Aspectos biogeográficos do território brasileiro. c. A dinâmica climática no Brasil. d. Os recursos minerais. e. As fontes de energia e as políticas energéticas. f. A biosfera e os ecossistemas no Brasil. g. Questão ambiental no território brasileiro.

BIBLIOGRAFIA
AB´SABER, Aziz. Os domínios de Natureza no Brasil: potencialidades paisagísticas. São Paulo: Ateliê Editorial, 2003.
COELHO, Marcos de A.; TERRA, Lygia. Geografia do Brasil. 5. ed. reform. e atual. São Paulo: Moderna, 2002.
CORRÊA, Roberto Lobato. O espaço urbano. São Paulo: Ática, 1995.
FERREIRA, Graça M. L. Atlas Geográfico: Espaço Mundial. 2. ed. São Paulo: Moderna, 2003.
MENDONÇA, F; DANNI-OLIVEIRA, I. M. Climatologia: noções básicas e climas do Brasil. São Paulo: Oficina de textos, 2007.
ROSS, J. L. S. (Org.). Geografia do Brasil. Didática 3. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1995.
SAMPAIO, Fernando dos Santos; SUCENA, Ivone Silveira. Geografia: ensino médio. São Paulo: Edições SM, 2010.
SANTOS, Milton. A urbanização brasileira. 5. ed. São Paulo: EDUSP, 2005.
SANTOS, Milton; SILVEIRA, Maria L. O Brasil: Território e Sociedade no Início do Século XXI. Rio de Janeiro: Record, 2001.
SENE, Eustáquio de. Geografia Geral e do Brasil: espaço geográfico e globalização. 2. ed. atual. São Paulo: Scipione, 2002.

4) LÍNGUA ESTRANGEIRA (7 QUESTÕES)

a) LÍNGUA INGLESA
1. Pronouns: subject, object, possessive, interrogative, demonstrative, indefinite. 2. Verb tenses: simple present, simple past (regular and irregular verbs), present continuous, past continuous and future (will and going to), present perfect, past perfect. 3. Modals: can, could, will, would, should and must. 4. Adjectives: comparative and superlative forms.
5. Adverbs: time, position of adverbs, manner and frequency. 6. Prepositions: time, place and location. 7. Articles: definite and indefinite. 8. Quantifiers: many, much, (a) few, (a) little, a lot and some, any. 9. Sentences: affirmative, negative and interrogative. 10. Coordination and subordination. 11. Reading comprehension. 12. Relative clauses.

BIBLIOGRAFIA
COLLINS, Cobuild. English Grammar. Glasgow: Harper Collins Publisher, 2006.
MURPHY, R. Essential grammar in use. Cambridge: Cambridge University Press, 2002.
SWAN, M.; WALTER, C. The good grammar book. Oxford: Oxford University Press, 2001.
VINCE, Michael. Essential Language Practice. [S.l.]: Macmillan, 2000.

b) LÍNGUA ESPANHOLA
1. Comprensión e interpretación de textos. 2. Lectura e interpretación de imágenes. 3. Acentuación de la palabras / tonicidad. 4. Artículos determinados (contracciones AL y DEL) e indeterminados; demostrativos; posesivos; indefinidos; el uso del NEUTRO LO. 5. Numerales: cardinales y ordinales. 6. Sustantivos: género y número. 7. Adjetivos: género y número. 8. Pronombres personales: tónicos y átonos. 9. Preposiciones. 10. Conjunciones. 11. Adverbios. 12. Verbos regulares e irregulares: tiempos simples y compuestos. 13. Sinonimia y antonimia. 14. Semántica: divergencias léxicas entre el portugués y el español – heterotónicos/ heterogenéricos. 15. Los falsos cognatos. 16. La oración y sus elementos sintácticos. 17. La fonética y fonología básica de la lengua española.

BIBLIOGRAFIA
BELLO, Fernández Díaz, R. Prácticas de fonética española para hablantes de portugués. Nivel Inicial-Intermedio. Madri: Arco/Libros.
DICCIONARIO DE LA REAL ACADEMIA-22.ª edición.
GÓMEZ TORREGO, L. Gramática Didáctica del Español. Madrid: Ed. SM., 2007.
LAROUSSE. Diccionario práctico bilingüe – Español/Portugués. São Paulo: Ed. Michaelis Larousse, 2000.
MATE BON, Francisco. Gramática Comunicativa del Español, Edelsa, Madrid, 1995.
MILANI, E.M. Gramática de espanhol para brasileiros. São Paulo: Saraiva, 2006.
MORENO. C.; FERNÁNDEZ, G. E. Gramática Contrastiva del Español para Brasileños. SGEL, Madrid, 2007.
SEÑAS. Diccionario para la Enseñanza de la Lengua Española para Brasileños. São Paulo: Ed. Martins Fontes, 2000.

5) CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS (40 QUESTÕES)
1. Fundamentos do Campo da Comunicação a. Teorias e História da Comunicação. b. Novas Tecnologias da Informação e da Comunicação. c. Metodologia e Pesquisa em Comunicação. d. Ética e Deontologia da Comunicação. 2. Fundamentos e Pesquisa em Jornalismo a. Teorias e História do Jornalismo. b. Jornalismo Impresso, Eletrônico e Digital. c. Estudos de Recepção, Mídia e Discurso. d. Legislação e Ética do Jornalismo. 3. Jornalismo: linguagem, meios e modalidades a. Estrutura da Notícia, Gêneros e Critérios de Noticiabilidade. b. Redação, Edição e Rotinas Produtivas. c. Assessoria de Imprensa e Divulgação Jornalística. d. Jornalismo Digital e Redes Sociais. 4. Fundamentos da área de relações públicas a. História, Teorias e Conceitos de Relações Públicas. b. Planejamento, planos, programas e projetos de Relações Públicas. c. Técnicas e Ferramentas de Relações Públicas. d. Legislação e Ética das Relações Públicas. e. Assessoria de Comunicação e Relações Públicas. f. Normas do Cerimonial Público e a Ordem de Precedência. 5. Tópicos especiais em comunicação organizacional e institucional a. Imagem, Identidade, Cultura e Ética Organizacional. b. Relações Públicas e Opinião Pública. c. Comunicação Pública e Responsabilidade Social. d. Gerenciamento de Crises e de Questões Públicas.

BIBLIOGRAFIA
ALSINA, Miquel Rodrigo. A construção da notícia. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.
ANDRADE, Cândido Teobaldo. Psicossociologia das Relações Públicas. São Paulo: Loyola, 1989.
BARROS FILHO, C. de. (Org.). Ética e comunicação organizacional. São Paulo: Paulus, 2007.
BARROS FILHO, C. de.; LOPES, Felipe Tavares Paes; PERES NETO, Luiz. Teorias da comunicação em jornalismo. Reflexões sobre a mídia. São Paulo: Saraiva, 2010.
BRASIL. Decreto nº 70.274, de 9 de março de 1972. Aprova as Normas de Cerimonial Público e a ordem geral de precedência.
CESAR, Mônica de Jesus. Empresa cidadã: uma estratégia de hegemonia. São Paulo: Cortez, 2008.
CESCA, Cleuza Gertrude Gimenes. Organização de eventos: manual para planejamento e execução. São Paulo: Summus, 1997.
COHN, Gabriel. Comunicação e indústria cultural: leituras de análise dos meios de comunicação na sociedade contemporânea e das manifestações da opinião pública, propaganda e cultura de massa nessa sociedade. 5. ed. São Paulo: T. A. Queiroz, 1987.
CONFERP – Conselho Federal de Relações Públicas. Resolução Normativa nº 43, de 24 de agosto de 2002.
CONFERP – Conselho Federal de Relações Públicas. Código de Ética Profissional dos Profissionais de Relações Públicas. Agosto 2001.
COSTELLA, Antônio F. Legislação da comunicação social. Campos do Jordão, SP: Editora Mantiqueira, 2002.
CHRISTOFOLETTI, Rogério; MOTTA, Luiz Gonzaga. (Org.). Observatórios de mídia. Olhares da cidadania. São Paulo: Paulus, 2008.
DUARTE, Jorge (Org.). Assessoria de imprensa e relacionamento com a mídia: teoria e prática. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2003.
______. (Org.) Comunicação pública. Estado, mercado, sociedade e interesse público. São Paulo: Atlas, 2009.
DUARTE, Jorge; BARROS, Antonio. (Org.). Métodos e técnicas de pesquisa em comunicação. São Paulo: Atlas, 2005.
FRANÇA, Fábio; LEITE, Gutemberg. A comunicação como estratégia de recursos humanos. Rio de Janeiro: QualityMark, 2007.
GADINI, Sérgio Luiz. Interesses cruzados: a produção da cultura no jornalismo brasileiro. São Paulo: Paulus, 2009.
GRUNIG, James E; FERRARI, Maria Aparecida; FRANÇA, Fábio. Relações Públicas: teoria, contextos e relacionamentos. São Paulo: Difusão Editora, 2009.
IASBECK, Luiz C. A. (Org). Ouvidoria: mídia organizacional. Porto Alegre: Editora Sulina, 2012.
KUNSCH, Margarida Maria Krohling. (Org.). Relações Públicas: história, teorias e estratégias nas organizações contemporâneas. São Paulo: Saraiva, 2009.
KUNSCH, Margarida Maria Krohling. Comunicação Organizacional. (Org.). v. 1. Histórico, Fundamentos e processos. São Paulo: Saraiva, 2009.
KUNSCH, Margarida Maria Krohling. (Org.). Comunicação Organizacional. v. 2. Linguagem, gestão e perspectivas. São Paulo: Saraiva, 2009.
KUNSCH, Margarida Maria Krohling (org.). Relações Públicas Comunitárias: a comunicação em uma perspectiva dialógica e transformadora, São Paulo: Summus, 2007.
KUNSCH, Margarida Maria Krohling. Planejamento de relações públicas na comunicação integrada. Edição revista, ampliada e atualizada. São Paulo: Summus, 2003.
LAGE, Nilson. Teoria e técnica do texto jornalístico. Rio de Janeiro: Elsevier, Campus, 2005.
LITTLEJOHN, Stephen W. Fundamentos teóricos da comunicação humana. Rio de Janeiro: Guanabara, 1988.
MATTELART, Armand. A globalização da comunicação. Bauru, SP: Edusc, 2000.
MATTELART, Armand. História da sociedade da informação. São Paulo: Loyola, 2002.
MOURA, Cláudia Peixoto; FOSSATI, Nelson Costa. Práticas acadêmicas em Relações Públicas: processos, pesquisas, aplicações. Porto Alegre: Sulina, 2011.
MCCOMBS, Maxwell. A teoria da agenda: a mídia e a opinião pública. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.
NEVES, Roberto de Castro. Comunicação empresarial integrada. Como gerenciar: imagem, questões públicas, comunicação simbólica, crises empresariais. Rio de Janeiro: Mauad, 2000.
NUCCI, Celso. (Org.). Manual de jornalismo da Radiobrás. Brasília, DF: Senado Federal, 2006.
RECUERO, Raquel. Redes sociais na Internet. Porto Alegre: Sulina, 2010.
SAAD, Beth. Estratégias para a mídia digital. Internet, informação e comunicação. São Paulo: Senac, 2003.
ROSA, Mário. A era do escândalo: lições, relatos e bastidores de quem viveu as grandes crises de imagem. 4. ed. São Paulo: Geração Editorial, 2007.
SANT’ANNA, Francisco. Mídia das fontes: um novo ator no cenário jornalístico brasileiro. Brasília, DF: Senado Federal, 2009.
SANTAELLA, Lúcia. A ecologia pluralista da comunicação: conectividade, mobilidade, ubiquidade. São Paulo: Paulus, 2010.
SIMÕES, Roberto Porto. Relações públicas: função política. 3. ed. São Paulo: Summus, 1995.
SOUSA, Jorge Pedro. Teorias da notícia e do jornalismo. Chapecó: Argos, 2002.
TEMER, Ana Carolina Rocha Pessoa; NERY, Vanda Cunha Albieri. Para entender as teorias da comunicação. Uberlândia, MG: EDUFU, 2009.
TRINTA, Aluízio Ramos; POLISTCHUK, Ilana. Teorias da comunicação. O pensamento e a prática da Comunicação Social. Rio de Janeiro: Campus; Elsevier, 2003.
WOLF, Mauro. Teorias da comunicação de massa. Tradução de Karina Jannini. São Paulo: Martins Fontes, 2003.
YANAZE, Mitsuru. Gestão de marketing e comunicação. Avanços e aplicações. São Paulo: Saraiva, 2007.

LEIA O EDITAL COMPLETO

Anúncios

32 opiniões sobre “Duas vagas para Comunicação Social no Exército Brasileiro”

  1. Oi, Mariana, tudo bem?
    Neste concurso, o Exame de Aptidão Física (EAF) também será aplicado para as mulheres. Conforme o edital:
    Seção II
    Das Condições de Execução do Exame e da Avaliação
    II – para o sexo feminino:
    a)flexões de braços, com apoio dos joelhos
    b)abdominal supra
    c)corrida de 12 min (doze minutos).

    Adoro o teu blog!
    Abraços 😉

    1. Oi, Camila! Na verdade ficou confuso o texto, pois quis dizer que a barra era só para os homens. Ajeitei o post para não deixar essa confusão… Obrigada pela dica!

      Beijos!

    1. Cris, no caso desse concurso acho que o ideal seria estudar pelos livros indicados na bibliografia, até pelos assuntos diferenciados como História e Geografia… Mas de toda forma, segue algumas dicas de cursos para a parte de Específicas e que pode te ajudar na preparação não só desse, mas de outros concursos na área:

      Cursos Ceton – possui duas isoladas com videoaulas: http://www.ceton.com.br/cursos/detalheCursoView/94 e http://www.ceton.com.br/cursos/detalheCursoView/95 . Usando o código de desconto jc10 tem 10% de desconto no valor total!

      Iscom – Eles têm o de Assessoria de Imprensa (http://iscom.com.br/cursos-online/assessoria-de-imprensa/) e Comunicação Pública (http://iscom.com.br/cursos-online/cp/). Não são cursos intencionalmente voltados para o preparar para concursos, no entanto, são bem completos e abordam muitas questões que caem em prova. Usando o código mm50 você ainda tem 50% de desconto!

      Curso Radix – o único curso presencial com aulas específicas, no entanto fica no Rio de Janeiro. Eles são feras! Para quem não é de lá, eles oferecem algumas aulas de ensino à distância que são muito boas, ainda não têm material suficiente para dar conta do assunto que normalmente cai em provas, mas eles já têm muito material. De toda forma, dá uma olhada no site deles:www.cursoradix.com.br.

      Ponto dos Concursos – Eventualmente lançam turmas para concursos específicos, são materiais em PDF. O site deles é owww.pontodosconcursos.com.br

  2. o que significa, exatamente, ter sido considerado isento do serviço militar? no meu documento, há “dispensado do serviço militar inicial em xxxx por excesso de contingente”. são denominações homônimas?

    1. Acho que é isso aqui: “durante o alistamento militar o brasileiro que apresenta aparente incapacidade física e/ou mental estará isento do Serviço Militar”. Não é seu caso… De toda forma você pode entrar em contato com a EsFCEx pra esclarecer esta dúvida.

  3. Mariana,
    Entrei no site da EsFCEx para fazer a inscrição e não consegui achar o link. Você pode me dar um help?

    Beijos

  4. Mariana, achei a bibliografia da prova de conhecimentos específicos muito voltada para Relações Públicas, é isso mesmo? Vc já deu alguma olhada nas provas anteriores desse concurso?

  5. Olá Mariana! Que bom que voce abriu o tópico relativo a Esfcex. Esse ano são 10 livros novos na bibliografia, então estou na “correria” atras dos livros e estudando todo dia com os que já tenho. O foco aqui realmente é Relações Públicas, mas não dá pra subestimar nenhuma “matéria”. Teorias da comunicação, teorias do jornalismo, legislação da área de comunicação… Tudo é importante. Você deve saber que estou na luta, vou pela 6 vez! Pra quem nunca fez essa prova, saibam que ela é muito bem elaborada e merece muita atenção na hora de marcar as alternativa corretas. Referente aos conhecimentos gerais, recomendo as apostilas do CEPREM, pois elas dão uma boa base.

    Quem tiver interesse de trocar material online comigo, tenho os resumos de: Castroneves, Roberto Porto simoes e toda a legislação de RP. Meu e-mail é: chico.bahia@hotmail.com

    Tenente Mariana Mazza, essa guerra eu vencerei, em nome de Jesus!

  6. Oi Mariana! Tenho uma dúvida, não sei se você saberá responder. Li o edital mas não ficou claro. Tenho perda auditiva em apenas um dos meus ouvidos. Não me declaro em concursos como deficiente pois é preciso ter limitações nós dois ouvidos para ser deficiente. Aí não sei se posso ser eliminada na avaliação médica por ter problema em um só ouvido, entende?! Saberia me dizer se posso concorrer?

    1. Teria que ver o critério de avaliação utilizado por eles. Na Aeronaurica existe um documento que fala tudo sobre a inspeção, seria bom tentar procurar se o Exército também tem (acredito que sim)

  7. Mariana, bom dia!

    Sabe dizer se poderemos escolher entre Inglês e Espanhol ou se terão questões das duas línguas?

    Obrigada!

  8. Oi Mariana. Parabéns pelo site, eu o conheço recentemente e adorei. Estou entrando no mundo dos concursos agora. Este será o primeiro..rsrs
    Entrei no link que vc passou para cadastro no concurso do Exército e não consigo ver o edital. Onde consigo ver? Também queria saber se você sabe de algum contato telefônico, pois fiz o cadastro e no link de local de nascimento não havia opção estrangeiro, acabei colocando não informado. Validou, mas tenho medo de depois dar algum erro. Por isso queria falar com alguém.
    Obrigada!

  9. Desculpe, no final da bibliografia que vi o link do edital..rsrs..valeu! Se souber algo sobre o item de nascimento na inscrição. Eu na verdade nasci em Angola, mas sou naturalizada brasileira. E não tem opção Angola, (cidade Luanda) como está na minha identidade. Queria saber se eu colocar como não informado vai dar algum problema.

    1. Acho que não dá nenhum problema não, mas acredito que no edital tem os telefones ou e-mails de contato, não? Dá uma conferida e tenta tirar essa dúvida com eles…

  10. Olá Mariana, tudo bem?
    Vc sabe se esse tipo de concurso para o exército acontece todos os anos?

    Obrigada!

  11. Olá,
    Gostaria de saber se existe alguma previsão de data para realização do concurso!No edital, a data ainda está para ser escolhida, ou seja, fica difícil fazer alguma programação. No dia 7 de setembro, acho dificil acontecer, mas acredito que seja no dia 13, concorda?

    1. Seria bom você entrar em contato com a organizadora do concurso. Dia 07 de setembro é praticamente impossível de ser!

  12. Olá, Mariana

    Você sabe me dizer onde consigo o pdf das provas do concurso 2013 e do 2014. Tentei achar no PCI, mas só tem as provas de 2012 para trás.

    Desde já, obrigada 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s