Concurso do MPU: como foi?

Hoje foi dia de prova do concurso do Ministério Público da União (MPU) e eu estou curiosííííííssima pra saber como foi!

Quem gostou da prova? Quem não gostou? Me contem como foi e utilizem esse post pra trocar informações com os outros candidatos sobre as questões, polêmicas, recursos, ranking…

O Jornalistas Concurseiros é de vocês!

Anúncios

27 opiniões sobre “Concurso do MPU: como foi?”

  1. Achei a prova bem tranquila, mais fácil que a ANtt. Tudo o que estava previsto no edital. A redação tb foi tranquila . Vamos esperar, pois teve muita pegadinha tb …

  2. Prova bem elaborada, com temas atuais, incluindo as manifestações e midia NINJA!Caiu teoria do jornalismo, assessoria de comunicação, rp! Com as classicas pegadinhas cespe!muito direito, lei! o tema da redação muito pertinente, sobre posicionamento estratégico de um órgão público. Independente do resultado, uma prova que vale a pena ser feita.

  3. Fiz a prova do MPU em Alagoas. Gostei mesmo, embora já tenha conferido muitas questões e verificado que errei muitas. Achei a prova de Português muito boa. A parte de Conhecimentos Específicos estavam bem pertinente, embora eu realmente não lembre de ter visto no programa o tópico de comunicação pública- teve questão sobre o tema. Quanto à redação, o tema foi muito pertinente também: uma proposta de AI para órgão público, indicando o posicionamento estratégico, produtos e profissionais necessários. Agora, já sei o roteiro que seguirei para estudar. Ah, teorias de comunicação/jornalismo, como sempre, estava lá na prova com muitttas questões.

  4. Também gostei da prova. Estou ingressando no mundo dos jornalistas concurseiros agora e ela serviu para me testar. Adorei o tema da redação. Quanto às questões do específico, achei bem atual e com perguntas voltadas realmente ao trabalho que será desenvolvido no órgão.

  5. O tempo geral para a prova foi suficiente, deu para fazer tudo com atenção e esmero. Achei a prova objetiva tranquila em termos de conteúdo, mas chamo a atenção para dois aspectos dela: muita pegadinha em Direito e muita coisa “que não consta em livros e apostilas” na prova específica. A prova de comunicação certamente beneficiou pessoas com experiência prática na área e que se mantêm atualizadas. Em outras palavras, o MPU quer realmente selecionar profissionais de comunicação e não concurseiros. Estimo que se alguém se der bem em português e nas específicas e deixar quase toda a prova de Direito em branco, terá boas chances de passar (dá um saldo entre 70 e 80). A prova discursiva veio com um bom tema, mas, com todo respeito, achei-a mal elaborada. O comando pedia para propor a organização de uma assessoria de imprensa, mas pelo contexto e pela complexidade da proposta, pareceu-me que a banca quis dizer “assessoria de comunicação” e disse “assessoria de imprensa”. Outro ponto preocupante dessa discursiva foi o grande número de comandos. Contemplar os pontos solicitados em 30 linhas, ok, é possível, fazendo uma lista com explicações curtas sobre cada item. Entretanto, a elaboração de um texto DISSERTATIVO (e não descritivo) com tantos pontos, a ser feita em 30 linhas, só pode ter ficado hiper superficial. Isso me incomodou muito. Se fossem 45-60 linhas, a proposta teria sido excelente, uma vez que elencar os pontos solicitados, explicá-los e ARGUMENTAR porque cada um é pertinente em um contexto mais amplo, realmente é quase impossível em 30 linhas.

    1. Concordo com o Rafael quanto ao tema da redação e aos pontos solicitados. Apesar de bem pertinente, pouco se podia explorar nos três pontos exigidos na dissertação. Meu rascunho deu 67 linhas e tive que reduzí-lo para 30 sem perder o foco e o conteúdo. Suponho que consegui, mas perdi um pouquinho de tempo. Porém, como a prova toda não estava tão densa quanto outras da Cespe para comunicação (como as da ANTT e ANP, por exemplo) esse tempinho perdido não foi problema!!!

  6. Fala galera, tudo bem? Fiz a prova ontem aqui em Sampa. Realmente estava bem elaborada a prova, apesar de não gostar muito do estilo do Cespe (certo ou errado). Principalmente porque sempre há questões com respostas vagas ou abertas. Por exemplo, uma delas dizia que “O sucesso das relacionamentos interpessoais depende do grau de compreensão entre os indivíduos” A afirmativa é correta, mas o sucesso não depende apenas disso, na minha opinião. Isso gera dúvidas em muitos candidatos, e a banca escolhe o gabarito que lhe convém. A redação foi fácil, principalmente para jornalistas e RPs, pois o tema Assessoria de Imprensa é mais do que manjado. Quanto às questões das matérias básicas, achei fácil. Quem estuda direito adm e constitucional para outros concursos não teve muitas dificuldades. Enfim, vamos ver no que vai dar, boa sorte a todos!

  7. Gente, eu nunca tinha feito prova do Cespe e acabei ficando meio indecisa do quanto valia a pena arriscar nas respostas que eu não tinha certeza absoluta. Vocês têm ideia de qual é, mais ou menos, o percentual de acertos (pontos) dos aprovados nesse tipo de prova?

    1. Por experiência próprio com o Cespe, geralmente 75% de pontos, ou seja, 90 no total, garante colocação entre os 10 ou 20 primeiros, com chances até de ficar em primeiro. Mas com mais de 80 pontos já dá pra ter esperança, pois estou falando das objetivas. Se você fizer entre 75 e 80 pontos e ter tirado 40 ou uns 35 na dissertativa, também tem grandes chances de aparecer entre os 10.

      1. Lívia, no concurso para jornalista da ANP, organizado pelo CESPE, que teve provas aplicadas em janeiro deste ano, meu saldo foi de 69 pontos e eu fiquei em 7º lugar no ranking da prova objetiva. Com a nota da redação, eu subi para 3º lugar (tirei 26.28 de 30). Depois da prova de títulos (que não tem no mpu) fiquei em 4º. Enfim, acredito que se você tirou acima de 65 pontos terá sua redação corrigida. Se tirou acima de 70 e fez uma boa redação, tem grandes chances de passar. Esse concurso da ANP foi o primeiro que eu fiz na minha vida, e o resultado foi ótimo. Tudo é possível. Não desanime! Força e vamos em frente! =)

      2. Exatamente Rafael. É que Cespe depende muito do grau de dificuldade, mas tirar mais de 80 é mais de 90% de chance de passar entre os classificados.

  8. Achei a prova de Português bem elaborada, com poucas perguntas óbvias, algumas cascas de banana. Como não tinha estudado a fundo legislação aplicada ao MPU, preferi deixar algumas questões em branco para não prejudicar meu desempenho. Quanto às específicas, o nível estava bom. No geral, apesar de o cargo ser para Publicidade, RP e Jornalismo, acho que quem tinha formação em jornalismo se deu melhor. Inclusive a questão discursiva estava bem focada no universo do jornalismo.

  9. A prova foi sem relativamente bem elaborada, mas discordo de quem acha que dá para ir bem sem acertar a maior parte das questões de direito: as de Direito Constitucional, por exemplo, estavam dadas para quem estudou e dominou o tema e vão sim ser fundamentais.
    Na minha interpretação, na redação o candidato deveria propor uma área de assessoria de imprensa com uma visão mais macro de comunicação, alinhavando outros segmentos da comunicação (interna, mídia social, mídia própria) para tornar o trabalho da assessoria de imprensa mais efetivo. E concordo que o espaço era muito pequeno para isso.
    Pelos gabaritos extra-oficiais, acho que ainda não chegou minha vez, mas estou torcendo ao menos para ter minha redação corrigida.

  10. Eu gostei da parte específica estava boa com muitas questões fácil para responder e algumas pegadinhas bem no estilo do cespe, o português veio num nível elevado e a parte de direito tive dificuldades porque não tive tempo para revisar, a redação foi bem específica, mas de qualquer forma vamos aguardar o gabarito.

  11. Saiu o gabarito. Das 120, anulei uma, errei 19 e acertei 100, o que me daria uma pontuação final de 81. Talvez a prova discursiva seja determinante, uma vez que ela vale 40 pontos. Acho que mesmo assim não tenho chances, soube de gente com pontuação bem mais alta.
    Alguém pensando em recursos?

  12. Alguem sabe como funciona esse ranking? É o número de acertos puro ou tem ja o desconto dos pontos perdidos com as questões erradas?
    Não entendi como a pontuação esta sendo postada.

    1. Pelo que entendi, é o número de acertos puros, ou seja, achei o ranking meio furado pois ele não leva em consideração as questões que erramos e a que anulamos para elaborar nossa pontuação final.

    2. As notas do ranking já devem estar com os descontos dos pontos perdidos.
      1 errada anula 1 certa.
      Então você deve contabilizar os seus erros, multiplicar por 2, somar com as que deixou em branco.
      Depois é só pegar esse resultado e subtrair de 120.

  13. Oi pessoal,

    Pensando de forma otimista, quantas pessoas vocês acreditam que devam ser chamadas ao longo dos 4 anos de validade do concurso para São Paulo?
    Não sei porque classificam tantos se a intenção é chamar tão poucos…

    Abraços e ânimo a todos.

  14. Tudo bem Mariana, fez o concurso do MPU? Fiz para MT e tenho algumas dúvidas (se puder ajudar, eu agradeço. O analista de comunicação pode ser nomeado para outra área específica? Estava em 54º e agora (com recurso na discursiva) passei para 42º (de 28,40 para 36,40 na prova discursiva).
    No edital MPU 2013/2:
    4.2.1 O candidato não escolherá nem indicará qual o ramo de sua preferência dentro do MPU. Ele será Ministérios Públicos que compõem o MPU.
    4.2.2 Os candidatos poderão ser lotados em qualquer unidade administrativa do MPU dentro da UF para o qual concorre de acordo com o interesse da administração.
    4.3 O candidato aprovado e classificado no concurso poderá ser nomeado, no âmbito do MPU, para UF de vaga diversa da qual foi aprovado, onde não haja candidato aprovado, ficando a nomeação condicionada a edital de convocação expedido pelo MPU e manifestações de interesse do candidato, sem quaisquer ônus para a Administração.
    Existe a possibilidade de ser nomeado? Abç…

      1. Aí vai a resposta novamente: “Oi, Fabrizio! No último concurso acho que só Brasília e talvez uma ou outra unidade (São Paulo, Rio de Janeiro) que chamou mais de um aprovado em Comunicação. O resto do Brasil, quando chamou, foi só o primeiro colocado! Esses tópicos de que você fala podem ocorrer com os cargos de nível médio ou aqueles de nível superior para qualquer área ou mesmo para Direito, que são os que mais chamam, mas ainda sim tenho dúvidas que isso tenha acontecido porque tem muita gente considerada aprovada e que vai sendo chamada ao longo da validade do concurso…

        Você teve uma boa colocação, parabéns por isso, mas na real acho muito improvável que sejam chamadas 40 pessoas num só estado! Nem em Brasília chamam tantos!!! Eu fiz esse concurso em 2006 e fiquei em quinto para Pernambuco, mas só chamaram acho que os dois primeiros! Se eu fosse você, realmente usaria essa aprovação como uma motivação a mais para estudar e partiria para o próximo. Foi o que eu fiz!”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s