Depoimento de Michele Barros

Essa moça tornou-se uma amigona e é realmente um exemplo de jornalista concurseira! Recém-aprovada no concurso dos Correios para São Paulo e autora do blog Materiais e Dicas de Estudo para Jornalistas Concurseiros (uma das melhores fontes na net para buscar assuntos que caem nos concursos da nossa área), ela fez um depoimento aqui para o Jornalistas Concurseiros muito legal, um verdadeiro incentivo para quem está disposto a continuar nessa luta. Valeu, Mi!

Antes de me tornar uma verdadeira concurseira já havia prestado outros concursos (sempre na área), mas nunca estudava. Acreditava que por já ser formada em jornalismo não precisaria estudar o que havia passado quatro anos estudando na faculdade…

Ledo engano, pois o boom dos concursos e a profissionalização dos concurseiros tornaram o processo extremamente competitivo. Não adianta, quem não estuda não se classifica mesmo!

E foi depois uma demissão em que me vi obrigada a voltar a morar com minha família na minha cidade natal é que acordei para a necessidade de encarar uma rotina séria de estudos.

Em minha cidade a possibilidade de trabalhar com o jornalismo é quase nula. As poucas oportunidades são tão degradantes que levam qualquer um a abandonar a profissão… Passei por uma crise com o jornalismo, quase nos “divorciamos” e foi então que a carreira pública despontou como um “bote salva-vidas”. Não queria abandonar a profissão, mas tinha que fazer algo para ganhar dinheiro e “ser alguém” na vida. Afinal, ter mais de 30, desempregada e ainda morando com a mãe no interior já era o fundo do poço o suficiente.

Por insistência da família prestei concurso para o Banco do Brasil (aqui em casa todos são bancários). Fiz um cursinho preparatório e conquistei o 212º por ter gabaritado Português. Foi bom para deixar meus familiares mais calmos, mas a minha meta ainda era jornalismo.

Fui pesquisando na internet e encontrei alguns concursos para a área. Queria passar, estava disposta a estudar todos os dias, inclusive aos fins de semana, mas não sabia por onde começar. Essa a principal dúvida dos jornalistas que chegam ao mundo dos concursos. Onde encontrar material?

Foi então que “criei” o método de revisar provas antigas. (Mal sabia eu que esta tática era largamente usada pelos concurseiros…) Com as questões das provas fui montando no word uma apostila com todas os assuntos abordados e percebia que muitos deles sempre se repetem. É claro que apenas pelas provas o subsídio para a teoria era pouco, mas já me dava um norte, um caminho para meus estudos. Aquilo que não ficava muito claro, jogava no (santo) google e ia buscando bibliografia.

Matriculei-me em um curso extensivo de Português e estudava em casa as matérias específicas. A internet me ajudou muito, inclusive a encontrar apostilas especializadas e cursos on-line.

Foi assim que consegui conquistar a tão sonhada aprovação. Depois de outras seis tentativas sérias anteriores, finalmente vi meu nome figurar na lista dos aprovados.

Depois da aprovação fiz um outro concurso, mas fiquei longe na classsificação… Cada prova é uma prova e não é porque você foi mal em uma que também irá em outra e vice-versa.

Em concursos públicos é fundamental que o candidato conheça a banca. Por isso, é essencial buscar provas anteriores para perceber o estilo de perguntas e os assuntos mais abordados pela organizadora.

No mais, não há segredos, milagres ou pulo do gato. Estudar é o lema. Estudar muito. Sem desculpites, sem senta e levanta, sem “vou dar uma espiadinha na net primeiro”…

Estudar requer disciplina e perseverança. Faça um plano de estudos, separe a bibliografia, encontre um local adequado para estudar. (Se não dispuser de um local silencioso e uma mesa para se debruçar sobre os livros vá para uma biblioteca.) Divida o tempo de estudos de hora em hora, separando por tópicos ou assuntos específicos e intercalando teoria e exercícios de fixação. Faça intervalos de 10 minutos colocando um despertador para não se perder no tempo. (Beba água, coma algo ou mesmo dê uma espiadinha na internet, mas seja rígido com você e volte aos estudos no tempo correto).

Estudar nos fins de semana não é um sacrifício é obrigação para quem realmente quer passar. É claro que todos precisamos de descanso e diversão e não estou dizendo para se matar de estudar, mas quanto maior a sua determinação, mais perto estará da aprovação. Troquei muitos e muitos sábados de balada pelos estudos e realmente não me arrependo, pois agora terei muito para comemorar e dinheiro para pagar! rs

A concorrência é grande, mas quem está preparado vai lá, faz o seu e se garante. Não desista se for reprovado várias vezes, ou se passar perto, mas não garantir a vaga. Continue estudando, se preparando e chegará onde quer. Não é fácil, mas é simples e muito possível.

Boa sorte e bons estudos a todos!

17 opiniões sobre “Depoimento de Michele Barros”

  1. Olha eu aí no blog da Má! Adoooro! Obrigada pela oportunidade de dividir com os seus leitores a minha experiência.

    Vamos que vamos! Agora estou ansiosa pela nomeação! hehehe

    bjs

  2. O melhor de todo esse processo é (re)conhecer amigas, né Mayra e Mariana?! E logo, logo serão vocês duas que vão estar contanto como é que foram aprovadas! 😉

  3. Fico super motivada quando vejos depoimentos como o seu Michele. Pena que não posso estudar aos finais de semana, tenho mais atividades em dois dias que durante a semana inteira. Vou lembrar dos palavras quando tiver vontade de desistir ou desânimo, como hoje. Obrigada 😉

  4. Oi, Lais! Com certeza, como a Mari falou, o importante é aproveitar os momentos livres e encarar os estudos como uma rotina séria.

    Falei em fim de semana porque geralmente é quando a maioria das pessoas tem mais tempo. Se o seu tempo livre é durante a semana, aproveite-o ao máximo.

    Fico feliz em contribuir um pouquinho que seja para a sua motivação com a minha experiência. Boa sorte e bons estudos!

  5. Gente, essa Michele é uma querida, uma fofa!
    Pelo blog dela, eu já havia percebido que ela era muito inteligente e estudiosa, merecia mesmo a aprovação!
    E no dia do resultado, fiquei realmente feliz por ela!
    Demais!
    Parabéns, Michele, tudo de bom!

    Beijos!

    1. Michele, já que vc fez outros concursos além dos Correios (prova apenas objetiva), vc treinava redação?
      Vc acha importante treinar redação mesmo para nós jornalistas?
      Quero fazer concursos em que a redação pesa super como os da Receita Federal.

  6. Nancyelle, a maioria dos concursos que pede redação para o cargo de jornalistas solicitam que o candidato faça uma matéria jornalística e ai fica mais fácil. Mas quando a redação é dissertativa é importante treinar sim, já que as estruturas são diferentes. O complicado é ter alguém para corrigir os textos produzidos… Neste caso, pra quem tem dificuldade aconselho procurar um cursinho ou professor particular.

  7. Depoimento valioso, Michele. E que já era fã do blog da Mariana, agora sou fã do seu blog também! Parabéns!!!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s